O homem das cavernas

Peter Wilhelm Lund, dinamarquês nascido em Copenhague, graduado em medicina e letras, mas com grande interesse em História Natural, pesquisou e formulou diversos trabalhos neste campo, que lhe rendeu diversos prêmios pela comunidade cientifica da Europa no século XIX.
Lund chega ao Brasil com intenção de ampliar seus estudos em botânica, passando por diversos estados brasileiros como São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás. Mas foi em Minas Gerais que o foco de seus estudos foram transformados.
Na cidade de Curvelo-MG, conheceu outro dinamarquês, Peter Claussen, proprietário da Fazenda Porteirinha, onde mostrou a Lund ossadas encontradas em cavernas da região, despertando um grande interesse pelas cavernas mineiras, devido a grande potencialidade cientifica que elas propunham,
Juntamente com Claussen, Lund conhece a Gruta de Maquiné, que o fascinou de tal modo que em suas memórias, citou a Gruta de Maquiné como a mais bela gruta do mundo.


Lund e Claussen entram em conflito por terem objetivos diferentes, Lund queria estudar os fósseis, e Claussem  vende-los. Com as divergências, Lund deixa Curvelo e muda-se para Lagoa Santa, onde explorou cavernas por cerca de dez anos.
Nas cavernas de Lagoa Santa, Lund coletou e estudou fósseis e publicou suas conclusões cientificas em Revistas da Dinamarca, França e Brasil. Não foi o primeiro a falar de fósseis no Brasil, mas foi pioneiro a dedicar-se  de forma especifica e sistemática a esse objeto de  estudo, sendo reconhecido hoje como “ Pai da Paleontologia Brasileira”.
Peter Lund realizou estudos de mamíferos da região do Vale do Rio das Velhas, as características da população pré-históricas, achados arqueológicos e pinturas rupestres. Na Gruta do Sumidouro, encontrou fósseis humanos na mesma escala geológica e no mesmo estado de fossilização de antigos animais extintos, provando que viveram na mesma época. Propôs que os homens teriam coexistidos na mesma época com gigantes mamíferos, e sugeriu que os homens teria surgido primeiramente na America e, só posteriormente, migrado para a Ásia dando origem a raça mongólica, contradizendo as teorias mais cecentes.
Em 1845, Lund encerrou suas atividades exploratórias e enviou suas coleções para Dinamarca, porem continuou morando no Brasil, terra que viveu por 45 anos, morrendo em 1880.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>